17/07/2016

Tudo segue como outrora?

Fernando Pessoa, no Livro do Desassossego escrevia há cerca de um século atrás:

"Na vida de hoje, o mundo só pertence aos estúpidos, aos insensíveis e aos agitados. O direito a viver e a triunfar conquista-se hoje quase pelos mesmos processos por que se conquista o internamento num manicômio: a incapacidade de pensar, a amoralidade e a hiperexcitação".

Aparentemente, nada mudou significativamente...

18/04/2016

"Mrs Caldwell habla com su hijo"

Do livro experimental de Camilo Jose Cela onde a mãe conversa com o filho já morto, as lembranças podem ser também muito doloridas e quase impossíveis e apagar:

"No consigo desentenderme, hijo mío, del tiempo que pasa, de la luvia que cae, del té que bebo, del hombre con el que me cruzo por la calle, del perro aterido de frio que araña la puerta de casa, de tu memoria. Y lo que yo quisiera, hijo mio, te lo podria jurar, era no tener tantas y tantas cosas atanazándome, tantas y tantas cosas recordándome, a cada instante, que no consigo desentenderme de ellas y vivir libre.

Las cosas, Eliacin. demonstrarían más nobles sentimientos borrándose para siempre, como una lágrima que cae al mar."

Mrs. Caldwell habla com su hijo, Camilo Jose Cela

07/03/2016

É possível registrar a memória?

Veja o que diz Ricardo Piglia na introdução do seu "Los Diários de Emilio Renzi":

 "A veces, cuando lo relee, le cuesta reconocer lo que ha vivido. Hay episodios narrados en los cuadernos que ha olvidado por completo. Existen en el diario pero no en sus recuerdos. Y a la vez ciertos hechos que permeneven en su memoria con la nitidez de una fotografia entán ausentes como si nunca los hibiera vivido. Tiene la estraña sensación de haber vivido dos vidas. la que esta escrita en sus quadernos y la que esta en sus recuerdos. Son figuras, escenas, fragmentos de diálogos, restos perdidos que renascen cada vez. Nunca coinciden o coinciden en acontecimentos mínimos que se disuelven en la maraña de los dias".



25/12/2015

Para fechar 2015...

Uma das musicas mais marcantes, e sempre presente.... David Benoit, Miles after dark

29/11/2015

Um aforismo de Kafka

"De um certo ponto em diante não existe mais retorno. Este é o ponto que deve ser alcançado."

01/11/2015

Uma citação (Paul Bowles)

"How many more times will you remember a certain afternoon of your childhood, some afternoon that's so deeply a part of your being that you can't even conceive of your life without it? Perhaps four or five times more. Perhaps not even that. How many more times will you watch the full moon rise? Perhaps twenty. And yet it all seems limitless.” 
― Paul BowlesThe Sheltering Sky